Legislações

Lei Municipal Nº 935/1991

935/1991 10/01/1991 711 Imprimir
Dispõe sobre a política Municipal Dos Direitos Da Criança E Do Adolescente.

A CÂMARA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA, APROVA E EU PREFEITO MUNICIPAL, SANCIONO A SEGUINTE LEI:

 

 

                                                                  TÍTULO I

                                                        DAS DISPOSIÇÕES GERAIS:

 

                                               Art. 1º -Esta Lei dispõe sobre a Política Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente e das normas gerais para a sua adequada aplicação.

 

                                               Art. 2º -O atendimento dos direitos da criança e do adolescente, no município de Aparecida de Goiânia, será feito através das políticas sociais básicas de educação, saúde, recreação, esporte, cultura, lazer, profissionalização e outras. Assegurando-se em todas elas, o tratamento com dignidade e respeito à liberdade e  à convivência familiar e comunitária.

 

                                               Art. 3º -Aos que, dela necessitarem será prestada a assistência social em caráter supletivo.

 

                                               Art. 4º -Fica autorizado o Executivo Municipal a criar o Serviço Especial de Prevenção e atendimento médico e psico-social a vítimas de negligência, maus tratos, exploração, abuso, crueldade e opressão.

                                              

                                               Art. 5º -Fica autorizado o Executivo Municipal a criar o Serviço de Identificação e localização de pais responsáveis por crianças e adolescentes desaparecidos.

 

                                               Art. 6º -O Município propiciará a proteção jurídico-social aos que necessitarem, por meio de entidades de defesa dos direitos da criança e do adolescente.

 

 

 

 

ESTADO DE GOIÁS

PREFEITURA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA

LEI MUNICIPAL Nº 935, DE 10 DE JANEIRO DE 1.991.

Cont.02

 

                                                                  TÍTULO II

                                                        DA POLÍTICA DE ATENDIMENTO

 

                                                                  CAPÍTULO I

                                                        DAS DISPOSIÇÕES PRELIMINARES

 

                                               Art. 7º -A  Política de Atendimento dos Direitos da Criança e do Adolescente será garantida, através dos seguintes órgãos:

 

                                               I -      Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente;

  • Fundo Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente;
  • Conselho Tutelar dos Direitos da Criança e do Adolescente.

 

Parágrafo Único – O Conselho Tutelar dos Direitos da criança e do

Adolescente serão regulamentados em Lei posterior.

 

                                                                  CAPÍTULO II

                                                        DO CONSELHO MUNICIPAL DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

                                                                  Seção I

                                                        Da Criação e natureza do Conselho

 

                                               Art. 8º -      Fica autorizado o Executivo Municipal a instituir o conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, como órgão deliberativo e controlador das ações em todos os níveis.

                                                        Seção II

                                                        Da competência do Conselho

 

                                               Art. 9º -      Compete ao Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente:

                                               I -      Formular a Política Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente, fixando prioridades pra a consecução  das ações, a captação e a aplicação de recursos;

                                               II-      Zelar pela execução dessa política, atendidas as peculiaridades das crianças e dos adolescentes, de suas famílias, de seus grupos de vizinhança, e dos bairros ou da zona urbana ou rural em que se localizem;

 

 

ESTADO DE GOIÁS

PREFEITURA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA

LEI MUNICIPAL Nº 935, DE 10 DE JANEIRO DE 1.991.

Cont.03

 

 

 

                                               III-     Formular as prioridades a serem incluídas no planejamento do município, em tudo que se refira ou possa afetar as condições de vida das crianças e dos adolescentes;

  • Estabelecer critérios, formas e meios de fiscalização de tudo quanto

se execute no município, que possa afetar as suas deliberações.

  • Registrar as entidades não governamentais de atendimento dos direitos da criança e do adolescente que mantenham programas de:

A -    orientação e apoio sócio-familiar;

                                               B -     apoio sócio educativo em meio aberto;

                                               C -     colocação sócio-familiar;

                                               D -    abrigo;

                                               E -     liberdade assistida

                                               F -     semiliberdade

                                               G -    internação 

 

                                               VI -   Registrar os programas a que se refere o início anterior das entidades governamentais que operem no município;

                                               VII -  Regulamentar, organizar, coordenar, vem como adotar todas as providências que julgar cabíveis para eleição e a posse dos membros do Conselho Tutelar do município.

                                               VIII - Dar posse aos membros do Conselho Tutelar, conceder licença aos mesmos, nos termos do respectivo regulamento e declarar vago por perca de mandato, de acordo com estatuto a ser elaborado pelo Conselho Municipal dos Direito da Criança e do Adolescente, o qual regerá os Conselhos Tutelares.

                                               § -1º- Caberá ao conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente expedir normas para a organização e o funcionamento dos Serviços criados nos termos dos artigos 4º e 5º.

 

                                               § -2º -  É vedada a criação de caráter compensatório da ausência da política social básica no município sem prévia manifestação do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente.

                                                                  Seção III

 

                                                        Dos Membros do Conselho

 

                                               Art. 10º - O Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente é composto de 07 (sete) membros, sendo:

 

 

ESTADO DE GOIÁS

PREFEITURA MUNICIPAL DE APARECIDA DE GOIÂNIA

LEI MUNICIPAL Nº 935, DE 10 DE JANEIRO DE 1.991.

Cont.04

 

                                                           I -      03 (três) membros representando o município, indicados pelos seguintes órgãos:

                                               A -    pelo Executivo Municipal;

                                               B -     pela Câmara Municipal

                                      II -     04 (quatro) membros indicados pelos seguintes órgãos:

                                               A -    02 (dois) pelo Conselho Comunitário;

                                               B -     02 (dois) pela CAMAP.

 

                                               Art. 11 -     A função do membro do Conselho é considerada de interesse público relevante e não será remunerada.

                                                                  CAPÍTULO III

DOS CONSELHOS TUTELARES DOS DIREITOS DA CRIANÇA E DO ADOLESCENTE

 

                                                        Da criação e Natureza dos Conselheiros

 

                                               Art. 12 -     Ficam criados 04 (quatro) Conselhos Tutelares dos Direitos da Criança e do Adolescente, órgãos permanentes e autônomos, a serem instalados cronológica e geograficamente nos termos da resolução a ser expedida pelo Conselho dos Direitos.

 

                                                                  CAPÍTULO IV

                                                        DAS DISPOSIÇÕES FINAIS E TRANSITÓRIAS

 

                                               Art. 13 -     No prazo máximo de 30 dias da publicação desta Lei, por convocação do Chefe do Poder Executivo Municipal, os órgãos e organizações a que se refere o Artigo 10º se reunirão para elaborar o Regimento Interno do Conselho Municipal da Criança e do Adolescente, ocasião em que elegerão o Primeiro Presidente.

                                               Art. 14º -    Esta Lei entrará e, vigor na data de sua publicação.

 

                                               Gabinete do Prefeito Municipal de Aparecida de Goiânia, aos dez dias do mês de janeiro de hum mil novecentos e noventa e um.

 

SEBASTIÃO LEMES VIANA               WALTER DE CARBALHO E SILVA PREFEITO MUNICIPAL                     SEC. DO GOVERNO MUNICIPAL

 

MARIA LAURA LEAL VIANA

1º DAMA